Gestão ágil em projetos: o que é? Entenda!

O que é Gestao Agil de projetos

O planejamento é parte essencial de qualquer projeto. É a partir dele que são traçadas as metas e objetivos que deverão ser atingidos com a sua conclusão. Mas, com a velocidade das mudanças de um mundo VUCA (Volátil, Incerto, Complexo e Ambíguo), um projeto que não se adequa ao contexto que está inserido está fadado ao fracasso. Por isso, é essencial que gestores apliquem princípios ágeis em suas iniciativas, sendo mais flexíveis e ampliando o impacto, fazendo então a gestão ágil de projetos.

Continue a leitura do artigo da Ink Inspirae entenda mais sobre esse tipo de gestão, a metodologia ágil e quais são as mais usadas!

 

O que é gestão ágil de projetos?

Em poucas palavras, podemos resumir a gestão ágil de projetos como um meio que utiliza uma abordagem com alta capacidade de resposta às mudanças. E o primeiro “mito” que temos que desvendar é que ágil, não tem relação somente com rapidez. A gestão inclui principalmente flexibilidade, integração.

 

Para entender melhor, pense no seguinte cenário: surgiu um imprevisto e você vai precisar adiar uma tarefa já determinada ou até mesmo mudar a prioridade de alguma coisa. Dessa forma, o projeto precisa ter a capacidade de alteração de características, conforme necessário. Para isso temos a gestão ágil de projetos, que vai se adaptar às mudanças repentinas no planejamento.

 

O termo tem se popularizado nas últimas décadas porque responde muito bem ao cenário atual, aquele que é configurado pela transformação digital. E para que isso aconteça o projeto precisa ter algumas abordagens diferentes das convencionais. Vamos entendê-las a seguir!

 

Como funciona essa gestão? 

A principal característica da gestão ágil de projetos é a entrega de valor. Neste tipo de abordagem, a ideia é que a cada iteração do produto, a equipe do projeto faça um incremento em termos de entrega de valor para o cliente ou para o beneficiário.

 

Na prática, o projeto precisa ser dividido em etapas menores (iterações). No geral, cada etapa dura de 2 a 4 semanas. Quando o período estipulado acaba, é feita uma nova avaliação das prioridades. Assim, é possível prever alterações, além de readequar o planejamento para novas necessidades, se preciso. A verdade é que ela garante mais entrega de valor porque reduz espaços para gaps.

 

A metodologia inclui saber trabalhar com os recursos disponíveis, assim como gerir bem o seu tempo. Além disso, a gestão inclui ainda entender o que está no escopo do projeto inicial para ir avançando cada etapa com ética e êxito.  Para adotar essa filosofia, foram desenvolvidas alguns tipos de metodologias ágeis.

 

E como funciona nos Projetos Sociais?

A base metodológica para gestão de Projetos Sociais é o Project DPro. Nela somos apresentados ao conceito de planejamento em ondas sucessivas e de portas de decisão.

 

Mas como assim? Quando falamos de projetos, podemos partir do pressuposto que quanto maior o prazo de execução do projeto, menos incerteza temos sobre o futuro do seu planejamento. Desta forma, precisamos destas portas de decisão para avaliar se o projeto se encontra na rota desejada ou se o planejamento precisa ser revisto.

 

Em suma, é possível juntar o melhor de uma abordagem tradicional do planejamento, com o jeito ágil de se gerir.

 

As metodologias ágei

O modelo foi criado por Jeff Sutherland  que propôs fazer o dobro na metade do tempo. Nesses tipos de metodologias, os projetos (independentes dos seus tamanhos) são planejados por inteiro (como era feito no modelo cascata, famoso nos anos 70). Mas, a diferença é que, ao invés de só começar uma etapa após conclusão da outra, entregando tudo junto ao final de um período, a metodologia ágil faz a conclusão de etapas.

 

Com a conclusão das etapas é possível fazer um levantamento e análise de requisitos, desenho da arquitetura do projeto, do planejamento geral, implementação, testes, e da entrada em produção. E durante o processo de conclusão de cada etapa é possível (caso necessário) realizar mudanças de qualquer natureza para melhorar ou otimizar o projeto.  Por isso, voltamos ao ponto que ser ágil não significa entregar o projeto mais rápido, mas entregar valor mais rápido ao beneficiário. Isso se deve ao fato das entregas serem parciais e incrementais. Em resumo, a metodologia prevê menos tempo de espera pela conclusão do projeto inteiro e mais resultados.

 

Benefícios

Além de ter o foco na qualidade do produto, a gestão ágil de projetos sociais e a metodologia ágil possuem outras vantagens tanto para o beneficiário como para equipe de projetos. Conheça alguns deles.

Para o beneficiário:

  • – Mais entrega de valor ao negócio e melhor ROI (Return On Investment);
  • – Entregas mais frequentes e regulares que permite a visualização dos resultados ainda com o projeto em andamento;
  • – Melhor Time-to-Market gerando ganho de competitividade;
  • – Melhor transparência da situação do projeto;
  • – Maior flexibilidade à mudanças e ajustes nas prioridades de entrega.

 

Para a área de desenvolvimento e entrega:

  • – Melhor comunicação com o beneficiário;
  • – Antecipação de problemas e tomadas de decisão mais rápidas;
  • – Mais autonomia das equipes;
  • – Melhora contínua do processo de desenvolvimento.

 

Metodologias mais utilizadas

1 – Scrum

Esse tipo de metodologia é o mais conhecido e famoso. Ele divide o projeto em etapas iterativas chamadas de sprints que duram de 2 a 4 semanas cada. Nele, cada etapa engloba diversas tarefas delegadas pela pessoa que requisitou o projeto. Essa mesma pessoa também tem a função de facilitar o trabalho das equipes e garantir que todas as entregas estejam de acordo com as especificações.

Ao fim de cada sprint, é realizada uma reunião para entender o que foi feito durantes as semanas e se é preciso alguma alteração. O Scrum tem foco nas pessoas e envolve o beneficiário diretamente com o desenvolvimento dos produtos do projeto.

 

2 – Kanban

O Kanban é uma metodologia visual usadas por diversas empresas. Ela é baseada em quadros de trabalho e cartões que são divididos em colunas, como “pendentes”, “em andamento” e “concluídas”. Cada coluna é personalizável de acordo com a necessidade do e modo de trabalho da equipe. Cada cartão é uma tarefa a ser executada. No geral, eles incluem o que deve ser feito em detalhes, quem deve fazer e o prazo de entrega.

 

3 – XP – Extreme Programming

Esse método é dirigido ao desenvolvimento de softwares e utiliza valores como simplicidade, comunicação, feedback e respeito. Assim como outras metodologias ágeis, o XP também trabalha com pequenas entregas que são reportadas e disponibilizadas ao beneficiário, conforme são finalizadas. A metodologia XP é realizada a partir de três pilares: agilidade no desenvolvimento da solução, economia de recursos e qualidade do produto final.

 

4 –  Lean

Essa metodologia, também conhecida como metodologia enxuta, foca em usar apenas o necessário. Ela incentiva a otimização do processo produtivo e por isso, economiza recursos, tempo e esforço das equipes.

 

Quem utiliza essa metodologia faz análises constantes durante a execução das tarefas, automatiza processos, cria modelos de projetos e, principalmente, incentiva a integração das equipes. Dessa forma é possível manter as equipes integradas e alinhadas com as exigências do público-alvo.

 

Conte com a Ink Inspira!

Agora que você já sabe o que é gestão ágil de projetos sociais e quais as metodologias mais utilizadas, conte com a Ink Inspira. Nossa empresa oferece gestão de projetos sociais e mentoria social para você garantir o sucesso do seu projeto. Contamos ainda com cursos com certificação internacional, como Gestão de Projetos e Programas e Avaliação de Impacto Social

Em nosso curso de Gestão de Projetos temos um módulo que fala sobre métodos ágeis para lhe ajudar a montar o seu. Entre já em contato e tire suas dúvidas!