O QUE É GERENCIAMENTO DE PROJETOS SOCIAIS?

O tema gerenciamento de projetos surgiu na década de 1960 e, de uns anos pra cá, está passando por um momento de enorme crescimento e utilização em diversos setores. O que antes era considerado “bom ter”, agora se transformou em uma necessidade.

Não é diferente na área social. Para implementar as metodologias de gestão de projetos, por exemplo, o Project Management for Development Professionals (PMD) e o Program Management for Development Professionals (PgMD), muitas empresas e organizações sociais têm recorrido aos serviços de consultorias, assessorias, auditorias e treinamentos específicos no assunto.

A existência das metodologias voltadas para a área social, ou seja, conjunto de técnicas, métodos e regras orientadas para esse fim, é um dos pilares do gerenciamento de projetos de impacto social e já têm utilidade e aplicabilidade testadas e comprovadas.

Melhor dizendo, tais metodologias de gerenciamento já são parte dos sistemas de gestão de organizações e fundações sociais, sejam de pequeno ou grande porte.

Quem pensa que gerenciamento de projetos não é necessário no Terceiro Setor ficou parado no tempo. Muitas organizações que entregam projetos de impacto social estão investindo maciçamente neste conhecimento. O Escritório de Projetos vem ganhando espaço no setor social, e a necessidade de proporcionar resultados de impacto fez com que o setor passasse a recorrer às empresas especializadas em gestão de projetos.

As razões dessa mudança decorrem das profundas transformações observadas na sociedade brasileira. Desde meados dos anos oitenta e, mais particularmente, na década atual, observa-se um crescimento da demanda por ações sociais. Os projetos na área social estão se tornando mais importantes para governo, instituições e para o mundo empresarial, por meio de suas fundações, uma vez que esses projetos envolvem milhares de pessoas e podem durar de poucas semanas a muitos anos.

Junto com os projetos, cresce também de forma exponencial a necessidade de gerentes de projetos. Algumas evidências comprovam o crescimento. O Governo Federal, em 1998, oficializou a profissão de “gerente de projeto” em seus quadros. Em 2003, o Governo de Minas Gerais criou a função Gerente Executivo de Projetos. A consequência óbvia é que, em escala cada vez maior, a presença do Gerente de Projetos profissional passou a ser uma necessidade real em projetos de impacto social.

Existe, hoje, nas organizações, uma maior aceitação da prática sistemática de gerenciamento dos projetos sociais, bem como o reconhecimento de que o gerenciamento é um importante veículo para a melhoria da performance dos negócios sociais em um cenário bastante competitivo e de mercados mundiais. Verdade seja dita: por meio do gerenciamento, as ações estratégicas das organizações sociais podem entregar resultados de programas com mais rapidez e eficiência.

*Este artigo foi publicado, em 2018, pelas Consultoras da Ink a convite da Agência Nossa Causa.